quinta-feira, 4 de julho de 2013

O mito do colágeno





Muita gente consumindo colágeno hidrolisado não é? Você usa/usou?
Modismo e saúde não combinam. É cada vez mais crescente a procura por produtos milagrosos. É cada vez mais comum a moda dos produtos que prometem muitos benefícios, verdadeira mágica, mas afinal, quantos desses produtos cumprem o que prometiam?
E isso nunca para, enganar várias pessoas sempre, mais e mais. As pessoas sempre estão em busca de soluções rápidas e a indústria farmacêutica está aí para enganar o consumidor.

E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam? - See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.yQVP7jIj.dpuf

Ao longo das últimas quatro décadas houve uma popularidade e deu-se início à aplicação de injeções na década de 1970. Depois cremes e loções, pílulas, bebidas e alimentos.
Porém, tudo isso tem pouca ou nenhuma base científica. Não existe nenhum estudo que comprove que a suplementação do colágeno hidrolisado lhe trará algum benefício sobre o envelhecimento cutâneo ou manutenção das articulações. O colágeno também é proteína (de baixo valor biológico) sendo degradado em aminoácidos, di e tri peptídeos. O caminho é o mesmo, ele será digerido e absorvido como aminoácido, tem sim um transportador, porém não se sabe qual proteína o corpo irá formar, podendo esta virar hormônios, enzimas...não sendo designada para firmar a musculatura ou tecido.
A ingestão de colágeno ou gelatina, seja na forma de suplemento, ou não, não aumenta a produção de colágeno do corpo. O que ocorre é um a brexa na legislação onde as empresas comercializam o que bem entendem. Cabe a nós exigirmos estudos estudos, pesquisas que comprovem resultados, benefícios e ou colaterais.


Portanto, se você quer diminuir flacidez, levante do sofá e coloque seus músculos pra trabalhar de forma eficiente e regular. tenha uma alimentação saudável e equilibrada! Durma bem! Sentada tomando colágeno ou qualquer outra substância, de nada adianta. As rugas virão, é fato! Use um bom protetor solar. Uma vez, conversando com meu dermato, perguntei se havia um bom creme anti rugas, pois estou na idade de prevenir, claro rs...ele disse que esses cremes anti idade são balela e que anti envelhecimento da pele seria um bom protetor solar :).

Fonte: Artigo do Dr. Victor Sorrentino e Ig Nutrição sem Mistérios.



Curta  FANPAGE Siga  FACEBOOK PESSOAL  INSTAGRAM @lorysilvafit e fique por dentro do mundo saudável!
Use a tag #projetolory em suasfotos no Instagram
"Modismo" e saúde definitivamente não combinam. Muitas foram as modas de novas "poções" milagrosas, medicamentos mágicos e tratamentos maravilhosos para melhorar tudo que se pode imaginar. E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam?
E esta "onda" não vai parar nunca, mas continuará a enganar centenas, milhares de pessoas ávidas por soluções práticas e fáceis para quase tudo!
Bom, mas como é papel do profissional de saúde ir atrás das informações reais a cerca daquilo que se promete, cá estou eu novamente buscando desvendar algo que já ouço há tempos e que cada vez mais atrai (e trai) as pessoas: os supostos benefícios do colágeno.


Sua popularidade tem evoluído ao longo das últimas quatro décadas, começando com injeções na década de 1970, então cremes e loções, e pílulas, bebidas e alimentos na última década.
Entretanto, infelizmente tudo isso tem muito pouca, ou nenhuma consistência científica; não porque o colágeno não tem valor, mas porque a maioria dos produtos não podem replicá-lo.
Vamos primeiramente iniciar por uma aula básica, primária e prática de fisiologia do trato digestório e automaticamente você já será capaz de compreender esta questão, bem como uma série de outras.
É importante que vocês saibam, que quando ingerimos um alimento, ele inicia seu processo digestivo já na boca, através de enzimas, posteriormente este alimento desce em direção ao esôfago estômago e intestino. No estômago é que ocorre uma das fases primordiais deste mecanismo, pois os ácidos farão com que o alimento se torne absorvível.
As proteínas são um grupo de macronutrientes caracterizados por sua constituição bioquímica de um ou mais polipeptídeos. Para deixar bem simples e resumido de modo que você consiga entender, é fundamental que você compreenda uma coisa: toda proteína é formada, estruturalmente, por uma seqüência de Aminoácidos. Da mesma forma que toda feijoada é formada por feijão e complementos, ou seja, não há proteínas sem aminoácidos e não feijoada sem feijão. 
Entretanto todo processo digestório trabalha no sentido de digerir, quebrar os alimentos em estruturas que possam ser absorvidas e, no caso das proteínas, ela precisa ser quebrada em aminoácidos, pois são estas estruturas que são reconhecidas e absorvidas pela parte do intestino responsável por esta seleção.
Você provavelmente já ouviu pessoas dizendo isso durante um bate papo: "Coma mais gelatina, pés de porco e pés de galinha, barbatanas de alguns peixes, pois são ricos em colágeno e vai fazer sua pele ficar "melhor e mais jovem". O problema é realmente gostar de comer estas "coisas", não é mesmo? Aí entra a indústria alimentícia "dos sonhos", que cria uma série de sucos, alimentos e suplementos oferecendo concentrações importantes do Colágeno de maneira simples, mágica, prática.
Mas antes de começar a esbanjar dinheiro em suplementos de colágeno caros ou, pior, colocar sua saúde em risco com uma maior ingestão de elementos químicos de todos os tipos contidos nestes suplementos, é importante compreender o que está por trás desta questão e saber se vale ou não a pena adquirir, o custo benefício.
- See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.EYmujl8D.dpuf
"Modismo" e saúde definitivamente não combinam. Muitas foram as modas de novas "poções" milagrosas, medicamentos mágicos e tratamentos maravilhosos para melhorar tudo que se pode imaginar. E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam?
E esta "onda" não vai parar nunca, mas continuará a enganar centenas, milhares de pessoas ávidas por soluções práticas e fáceis para quase tudo!
Bom, mas como é papel do profissional de saúde ir atrás das informações reais a cerca daquilo que se promete, cá estou eu novamente buscando desvendar algo que já ouço há tempos e que cada vez mais atrai (e trai) as pessoas: os supostos benefícios do colágeno.


Sua popularidade tem evoluído ao longo das últimas quatro décadas, começando com injeções na década de 1970, então cremes e loções, e pílulas, bebidas e alimentos na última década.
Entretanto, infelizmente tudo isso tem muito pouca, ou nenhuma consistência científica; não porque o colágeno não tem valor, mas porque a maioria dos produtos não podem replicá-lo.
Vamos primeiramente iniciar por uma aula básica, primária e prática de fisiologia do trato digestório e automaticamente você já será capaz de compreender esta questão, bem como uma série de outras.
É importante que vocês saibam, que quando ingerimos um alimento, ele inicia seu processo digestivo já na boca, através de enzimas, posteriormente este alimento desce em direção ao esôfago estômago e intestino. No estômago é que ocorre uma das fases primordiais deste mecanismo, pois os ácidos farão com que o alimento se torne absorvível.
As proteínas são um grupo de macronutrientes caracterizados por sua constituição bioquímica de um ou mais polipeptídeos. Para deixar bem simples e resumido de modo que você consiga entender, é fundamental que você compreenda uma coisa: toda proteína é formada, estruturalmente, por uma seqüência de Aminoácidos. Da mesma forma que toda feijoada é formada por feijão e complementos, ou seja, não há proteínas sem aminoácidos e não feijoada sem feijão. 
Entretanto todo processo digestório trabalha no sentido de digerir, quebrar os alimentos em estruturas que possam ser absorvidas e, no caso das proteínas, ela precisa ser quebrada em aminoácidos, pois são estas estruturas que são reconhecidas e absorvidas pela parte do intestino responsável por esta seleção.
Você provavelmente já ouviu pessoas dizendo isso durante um bate papo: "Coma mais gelatina, pés de porco e pés de galinha, barbatanas de alguns peixes, pois são ricos em colágeno e vai fazer sua pele ficar "melhor e mais jovem". O problema é realmente gostar de comer estas "coisas", não é mesmo? Aí entra a indústria alimentícia "dos sonhos", que cria uma série de sucos, alimentos e suplementos oferecendo concentrações importantes do Colágeno de maneira simples, mágica, prática.
Mas antes de começar a esbanjar dinheiro em suplementos de colágeno caros ou, pior, colocar sua saúde em risco com uma maior ingestão de elementos químicos de todos os tipos contidos nestes suplementos, é importante compreender o que está por trás desta questão e saber se vale ou não a pena adquirir, o custo benefício.
- See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.EYmujl8D.dpuf
"Modismo" e saúde definitivamente não combinam. Muitas foram as modas de novas "poções" milagrosas, medicamentos mágicos e tratamentos maravilhosos para melhorar tudo que se pode imaginar. E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam?
E esta "onda" não vai parar nunca, mas continuará a enganar centenas, milhares de pessoas ávidas por soluções práticas e fáceis para quase tudo!
Bom, mas como é papel do profissional de saúde ir atrás das informações reais a cerca daquilo que se promete, cá estou eu novamente buscando desvendar algo que já ouço há tempos e que cada vez mais atrai (e trai) as pessoas: os supostos benefícios do colágeno.


Sua popularidade tem evoluído ao longo das últimas quatro décadas, começando com injeções na década de 1970, então cremes e loções, e pílulas, bebidas e alimentos na última década.
Entretanto, infelizmente tudo isso tem muito pouca, ou nenhuma consistência científica; não porque o colágeno não tem valor, mas porque a maioria dos produtos não podem replicá-lo.
Vamos primeiramente iniciar por uma aula básica, primária e prática de fisiologia do trato digestório e automaticamente você já será capaz de compreender esta questão, bem como uma série de outras.
É importante que vocês saibam, que quando ingerimos um alimento, ele inicia seu processo digestivo já na boca, através de enzimas, posteriormente este alimento desce em direção ao esôfago estômago e intestino. No estômago é que ocorre uma das fases primordiais deste mecanismo, pois os ácidos farão com que o alimento se torne absorvível.
As proteínas são um grupo de macronutrientes caracterizados por sua constituição bioquímica de um ou mais polipeptídeos. Para deixar bem simples e resumido de modo que você consiga entender, é fundamental que você compreenda uma coisa: toda proteína é formada, estruturalmente, por uma seqüência de Aminoácidos. Da mesma forma que toda feijoada é formada por feijão e complementos, ou seja, não há proteínas sem aminoácidos e não feijoada sem feijão. 
Entretanto todo processo digestório trabalha no sentido de digerir, quebrar os alimentos em estruturas que possam ser absorvidas e, no caso das proteínas, ela precisa ser quebrada em aminoácidos, pois são estas estruturas que são reconhecidas e absorvidas pela parte do intestino responsável por esta seleção.
Você provavelmente já ouviu pessoas dizendo isso durante um bate papo: "Coma mais gelatina, pés de porco e pés de galinha, barbatanas de alguns peixes, pois são ricos em colágeno e vai fazer sua pele ficar "melhor e mais jovem". O problema é realmente gostar de comer estas "coisas", não é mesmo? Aí entra a indústria alimentícia "dos sonhos", que cria uma série de sucos, alimentos e suplementos oferecendo concentrações importantes do Colágeno de maneira simples, mágica, prática.
Mas antes de começar a esbanjar dinheiro em suplementos de colágeno caros ou, pior, colocar sua saúde em risco com uma maior ingestão de elementos químicos de todos os tipos contidos nestes suplementos, é importante compreender o que está por trás desta questão e saber se vale ou não a pena adquirir, o custo benefício.
- See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.EYmujl8D.dpuf
"Modismo" e saúde definitivamente não combinam. Muitas foram as modas de novas "poções" milagrosas, medicamentos mágicos e tratamentos maravilhosos para melhorar tudo que se pode imaginar. E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam?
E esta "onda" não vai parar nunca, mas continuará a enganar centenas, milhares de pessoas ávidas por soluções práticas e fáceis para quase tudo!
Bom, mas como é papel do profissional de saúde ir atrás das informações reais a cerca daquilo que se promete, cá estou eu novamente buscando desvendar algo que já ouço há tempos e que cada vez mais atrai (e trai) as pessoas: os supostos benefícios do colágeno.


Sua popularidade tem evoluído ao longo das últimas quatro décadas, começando com injeções na década de 1970, então cremes e loções, e pílulas, bebidas e alimentos na última década.
Entretanto, infelizmente tudo isso tem muito pouca, ou nenhuma consistência científica; não porque o colágeno não tem valor, mas porque a maioria dos produtos não podem replicá-lo.
Vamos primeiramente iniciar por uma aula básica, primária e prática de fisiologia do trato digestório e automaticamente você já será capaz de compreender esta questão, bem como uma série de outras.
É importante que vocês saibam, que quando ingerimos um alimento, ele inicia seu processo digestivo já na boca, através de enzimas, posteriormente este alimento desce em direção ao esôfago estômago e intestino. No estômago é que ocorre uma das fases primordiais deste mecanismo, pois os ácidos farão com que o alimento se torne absorvível.
As proteínas são um grupo de macronutrientes caracterizados por sua constituição bioquímica de um ou mais polipeptídeos. Para deixar bem simples e resumido de modo que você consiga entender, é fundamental que você compreenda uma coisa: toda proteína é formada, estruturalmente, por uma seqüência de Aminoácidos. Da mesma forma que toda feijoada é formada por feijão e complementos, ou seja, não há proteínas sem aminoácidos e não feijoada sem feijão. 
Entretanto todo processo digestório trabalha no sentido de digerir, quebrar os alimentos em estruturas que possam ser absorvidas e, no caso das proteínas, ela precisa ser quebrada em aminoácidos, pois são estas estruturas que são reconhecidas e absorvidas pela parte do intestino responsável por esta seleção.
Você provavelmente já ouviu pessoas dizendo isso durante um bate papo: "Coma mais gelatina, pés de porco e pés de galinha, barbatanas de alguns peixes, pois são ricos em colágeno e vai fazer sua pele ficar "melhor e mais jovem". O problema é realmente gostar de comer estas "coisas", não é mesmo? Aí entra a indústria alimentícia "dos sonhos", que cria uma série de sucos, alimentos e suplementos oferecendo concentrações importantes do Colágeno de maneira simples, mágica, prática.
Mas antes de começar a esbanjar dinheiro em suplementos de colágeno caros ou, pior, colocar sua saúde em risco com uma maior ingestão de elementos químicos de todos os tipos contidos nestes suplementos, é importante compreender o que está por trás desta questão e saber se vale ou não a pena adquirir, o custo benefício.
- See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.EYmujl8D.dpuf
"Modismo" e saúde definitivamente não combinam. Muitas foram as modas de novas "poções" milagrosas, medicamentos mágicos e tratamentos maravilhosos para melhorar tudo que se pode imaginar. E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam?
E esta "onda" não vai parar nunca, mas continuará a enganar centenas, milhares de pessoas ávidas por soluções práticas e fáceis para quase tudo!
Bom, mas como é papel do profissional de saúde ir atrás das informações reais a cerca daquilo que se promete, cá estou eu novamente buscando desvendar algo que já ouço há tempos e que cada vez mais atrai (e trai) as pessoas: os supostos benefícios do colágeno.


Sua popularidade tem evoluído ao longo das últimas quatro décadas, começando com injeções na década de 1970, então cremes e loções, e pílulas, bebidas e alimentos na última década.
Entretanto, infelizmente tudo isso tem muito pouca, ou nenhuma consistência científica; não porque o colágeno não tem valor, mas porque a maioria dos produtos não podem replicá-lo.
Vamos primeiramente iniciar por uma aula básica, primária e prática de fisiologia do trato digestório e automaticamente você já será capaz de compreender esta questão, bem como uma série de outras.
É importante que vocês saibam, que quando ingerimos um alimento, ele inicia seu processo digestivo já na boca, através de enzimas, posteriormente este alimento desce em direção ao esôfago estômago e intestino. No estômago é que ocorre uma das fases primordiais deste mecanismo, pois os ácidos farão com que o alimento se torne absorvível.
As proteínas são um grupo de macronutrientes caracterizados por sua constituição bioquímica de um ou mais polipeptídeos. Para deixar bem simples e resumido de modo que você consiga entender, é fundamental que você compreenda uma coisa: toda proteína é formada, estruturalmente, por uma seqüência de Aminoácidos. Da mesma forma que toda feijoada é formada por feijão e complementos, ou seja, não há proteínas sem aminoácidos e não feijoada sem feijão. 
Entretanto todo processo digestório trabalha no sentido de digerir, quebrar os alimentos em estruturas que possam ser absorvidas e, no caso das proteínas, ela precisa ser quebrada em aminoácidos, pois são estas estruturas que são reconhecidas e absorvidas pela parte do intestino responsável por esta seleção.
Você provavelmente já ouviu pessoas dizendo isso durante um bate papo: "Coma mais gelatina, pés de porco e pés de galinha, barbatanas de alguns peixes, pois são ricos em colágeno e vai fazer sua pele ficar "melhor e mais jovem". O problema é realmente gostar de comer estas "coisas", não é mesmo? Aí entra a indústria alimentícia "dos sonhos", que cria uma série de sucos, alimentos e suplementos oferecendo concentrações importantes do Colágeno de maneira simples, mágica, prática.
Mas antes de começar a esbanjar dinheiro em suplementos de colágeno caros ou, pior, colocar sua saúde em risco com uma maior ingestão de elementos químicos de todos os tipos contidos nestes suplementos, é importante compreender o que está por trás desta questão e saber se vale ou não a pena adquirir, o custo benefício.
- See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.EYmujl8D.dpuf
"Modismo" e saúde definitivamente não combinam. Muitas foram as modas de novas "poções" milagrosas, medicamentos mágicos e tratamentos maravilhosos para melhorar tudo que se pode imaginar. E a pergunta permanece: quantos destes realmente provaram realizar aquilo que prometiam?
E esta "onda" não vai parar nunca, mas continuará a enganar centenas, milhares de pessoas ávidas por soluções práticas e fáceis para quase tudo!
Bom, mas como é papel do profissional de saúde ir atrás das informações reais a cerca daquilo que se promete, cá estou eu novamente buscando desvendar algo que já ouço há tempos e que cada vez mais atrai (e trai) as pessoas: os supostos benefícios do colágeno.


Sua popularidade tem evoluído ao longo das últimas quatro décadas, começando com injeções na década de 1970, então cremes e loções, e pílulas, bebidas e alimentos na última década.
Entretanto, infelizmente tudo isso tem muito pouca, ou nenhuma consistência científica; não porque o colágeno não tem valor, mas porque a maioria dos produtos não podem replicá-lo.
Vamos primeiramente iniciar por uma aula básica, primária e prática de fisiologia do trato digestório e automaticamente você já será capaz de compreender esta questão, bem como uma série de outras.
É importante que vocês saibam, que quando ingerimos um alimento, ele inicia seu processo digestivo já na boca, através de enzimas, posteriormente este alimento desce em direção ao esôfago estômago e intestino. No estômago é que ocorre uma das fases primordiais deste mecanismo, pois os ácidos farão com que o alimento se torne absorvível.
As proteínas são um grupo de macronutrientes caracterizados por sua constituição bioquímica de um ou mais polipeptídeos. Para deixar bem simples e resumido de modo que você consiga entender, é fundamental que você compreenda uma coisa: toda proteína é formada, estruturalmente, por uma seqüência de Aminoácidos. Da mesma forma que toda feijoada é formada por feijão e complementos, ou seja, não há proteínas sem aminoácidos e não feijoada sem feijão. 
Entretanto todo processo digestório trabalha no sentido de digerir, quebrar os alimentos em estruturas que possam ser absorvidas e, no caso das proteínas, ela precisa ser quebrada em aminoácidos, pois são estas estruturas que são reconhecidas e absorvidas pela parte do intestino responsável por esta seleção.
Você provavelmente já ouviu pessoas dizendo isso durante um bate papo: "Coma mais gelatina, pés de porco e pés de galinha, barbatanas de alguns peixes, pois são ricos em colágeno e vai fazer sua pele ficar "melhor e mais jovem". O problema é realmente gostar de comer estas "coisas", não é mesmo? Aí entra a indústria alimentícia "dos sonhos", que cria uma série de sucos, alimentos e suplementos oferecendo concentrações importantes do Colágeno de maneira simples, mágica, prática.
Mas antes de começar a esbanjar dinheiro em suplementos de colágeno caros ou, pior, colocar sua saúde em risco com uma maior ingestão de elementos químicos de todos os tipos contidos nestes suplementos, é importante compreender o que está por trás desta questão e saber se vale ou não a pena adquirir, o custo benefício.
- See more at: http://www.blogdodrvictorsorrentino.com/2013/06/o-mito-do-colageno.html#sthash.EYmujl8D.dpuf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Recentes

Instagram

Instagram
Sigam @lorysilvafit